Uma obra do artista Eduardo Luiz, trabalho raro e bem documentado. Um Álvaro Lapa. Fotos de Julião Sarmento (série Mod. de 1993), entre outros…

Veja no site!…

Eduardo Luiz

Eduardo Luiz Teles Fernandes Gomes nasceu em Braga, a 16 de julho de 1932. Em 1935, a família foi viver para Vila Nova de Gaia.

Recebeu de seu pai – o escultor Joaquim Fernandes Gomes – as primeiras lições de desenho. No Porto, estudou na Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis (1943-1946) e cursou pintura na Escola de Belas Artes do Porto e na Escola Superior de Belas Artes do Porto, entre 1946 e 1952.

Realizou a primeira de várias exposições individuais na Galeria Portugália (Porto, 1950) e expôs coletivamente desde 1952, em galerias e museus portugueses, espanhóis, franceses, italianos, belgas, macaenses, brasileiros e norte-americanos.
No início da carreira também se interessou pela dança, pela música e pela cenografia, tendo produzido cenários teatrais (1952-1957) para o Teatro Universitário e para o Teatro Experimental do Porto.

Em 1958 partiu para Paris enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, mais tarde fixando residência em França. Em 1971, foi viver para uma granja em Les Vaux, perto de Yèvre-le-Châtel, onde, anos mais tarde, se instalou definitivamente.

Em 1964 criou desenhos e pinturas para o filme de animação La Brûlure de Mille Soleils, de Pierre Kast e Chris Marker, que ganhou quatro prémios internacionais.

A sua obra está representada em vários museus e coleções, públicas e privadas – no Museu de Arte Erótica de São Francisco (EUA), no Museu de Arte Moderna da Cidade de Paris, França, na Coleção Manuel de Brito (CAMB, Algés), Portugal, no acervo do Millennium BCP, na Secretaria de Estado da Cultura e no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, Portugal.
Em 1990, a Fundação Calouste Gulbenkian organizou duas mostras antológicas da pintura de Eduardo Luiz – a “Exposição Retrospetiva”, patente no Centro de Arte Moderna da FCG, em Lisboa, e “Eduardo Luiz 1932-1988”, na Fondation Calouste Gulbenkian, em Paris.

Em 2006, Victor Candelas realizou o vídeo Eduardo Luiz. Retrato do Artista Desaparecido.

Entre os vários prémios e distinções que lhe foram atribuídos, podem salientar-se o Prémio Jovem Pintura da Galeria de Março (1953) e a Grã-Cruz de Ordem de Sant’ Iago da Espada.

Eduardo Luiz morreu a 30 de abril de 1988, em Yévre-Le-Châtel (França).

Postumamente, foram-lhe dedicadas duas exposições, uma em Macau e outra em Algés – Eduardo Luiz (Galeria de Exposições Temporárias do Leal Senado, 1996) e Eduardo Luiz – Exposição Antológica (Centro de Arte Manuel de Brito, 2009), respetivamente. 
Universidade do Porto (Universidade Digital / Gestão de Informação)